O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS

O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS

Conceber um produto é fazer muitas escolhas enquanto se tenta sempre fazer as melhores.
Vamos explicar um pouco mais sobre as nossas escolhas técnicas, sensoriais e estéticas!

VIABILIDADE DO PRODUTO: SERÁ QUE ISTO VAI FUNCIONAR?

A nossa equipa de conceção torna o futuro produto uma realidade. Graças ao desenho assistido por computador (CAD), já temos as suas principais características. E com os desenhos 2D/3D e os primeiros protótipos, verificamos também a sua conformidade com as especificações...

Último passo: avaliar a viabilidade.. Para o fazer, colocamo-nos várias questões sobre a estética, os componentes, as competências técnicas, o preço certo de fabrico, as patentes, etc.

Depois de verificarmos cuidadosamente todas estas questões, existem duas opções: avançamos com o produto ou não!
Se a viabilidade for aprovada, é para avançar. Lançamos os primeiros protótipos.
Se não for aprovado, repensamos o produto, ou certos aspetos do produto e a sua conceção para prosseguir o projeto.

na imagem: O CAD ajuda-nos a materializar o primeiro esboço.  

O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS
O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS

ESCOLHAS TÉCNICAS: COMPONENTES DO PRODUTO

Se o produto for viável, a equipa de conceção começa com escolhas técnicas. Entre estas estão os componentes do produto, por outras palavras os seus materiais. Graças às equipas dedicadas diariamente ao seu desenvolvimento, dispomos do nosso próprio catálogo de componentes específicos e exclusivos. Ajuda-nos a garantir todas as etapas de fabrico.

Categorizamos tudo por benefício do produto para tornar o trabalho das nossas equipas de conceção mais simples. Um benefício do produto pode ser: calor, à prova de vento, fibras elásticas, recicladas, etc. Mais prático de trabalhar quando se precisa de um componente com características específicas!

ESCOLHAS SENSORIAIS: SENSAÇÃO E SENTIDO

Há escolhas técnicas e escolhas sensoriais. Quando posto desta forma, parece um pouco conceptual. Deixa-nos explicar:

Para determinar as escolhas sensoriais, trata-se de perguntar aos utilizadores desportivos o que precisam para poderem escolher os materiais certos.Para isso, fazemos a nós próprios perguntas com base nos 5 sentidos: o material precisa de ser áspero, macio, liso, brilhante, mate, super macio, etc...? Colocando de forma simples:o que deves sentir quando utilizas o produto?

Damos-te uma ideia mais concreta com um exemplo:um jogador de ténis ou badminton precisa de uma raquete com um grip com a textura certa para obter uma boa aderência da mão. Se o grip for demasiado suave, o jogador pode pensar que não proporcionará uma boa aderência, sem sequer ter testado a raquete em campo.Pelo contrário, se for demasiado rugoso, ele ou ela terá a impressão de que não será agradável jogar com ele. É uma questão de sensação (neste caso estamos a falar de tato) e de sentido.

O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS
O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS

DESTAQUE PARA A FERRAMENTA SENSORIAL DO SPORTSLAB

A equipa de processo têxtil e o Sportslab de ciências sensoriais desenvolveram uma ferramenta sensorial:De dentro para fora. Utilizado por todos os desportos, ajuda a permanecer em sincronia, utilizando o mesmo vocabulário, os mesmos protocolos de avaliação e as mesmas escalas de classificação quando se fala dos nossos componentes.E é também graças a esta ferramenta que realizamos estudos sensoriais.

ESCOLHAS ESTÉTICAS: CORES, CORTES E PADRÕES

Uma vez aprovados os aspetos técnicos, o designer passa para o estilo do produto e da futura coleção, em suma, o que os utilizadores desportivos vêem primeiro!Uma equipa de especialistas ajuda-os a fazer as escolhas certas. Em conjunto, determinam a gama certa de cores, os padrões e o peso em relação à escolha dos componentes, e as tendências a seguir.

O designer também se rodeia de utilizadores desportivos para confirmar as suas escolhas. Por vezes recorrem a um painel de utilizadores, sempre atentos às suas preferências.

O produto deve ser apelativo para os utilizadores desportivos e desencadear uma emoção. Deve também estar em harmonia com o resto da coleção.A ideia é ter uma homogeneidade apelativa quando tudo estiver alinhado ou no departamento de vendas. E destacar os benefícios do produto graças à sua estética.Também deve ser: desportivo, responsável, amigável e essencial para corresponder aos nossos valores!

O PRODUTO CERTO: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO FAZER AS ESCOLHAS CERTAS

DESTAQUE PARA A "GAMA DE CORES", O NOSSO CATÁLOGO COLORIDO

A DECATHLON não é apenas azul. E sim, desenvolvemos o nosso próprio catálogo de cores. Porquê? Para obter mais uniformidade na nossa coleção, qualquer que seja a marca desportiva, e nos nossos departamentos comerciais.Mas também para ter a mesma cor, o mesmo vermelho ou azul, por exemplo, qualquer que seja o material: plástico, algodão, poliéster, tinta sobre metal, etc.

Como e onde é que isso acontece?
Existem salas, em cada um dos nossos centros de design, equipadas com LED reproduzindo a luz do dia e a luz nas nossas lojas para comparar as cores em ambos os ambientes.Qual é a sua finalidade:deixando-nos verificar se o cliente perceciona a cor certa e que não ficará desapontado com o produto quando sair da loja.

A gama de cores DECATHLON tem 300 cores, e é isto! Torna mais fácil combinar os artigos das nossas diferentes marcas desportivas!

PS (sabemos que estás curioso): existem 12 vermelhos na nossa gama de cores. E 37 azuis.

E... ESTÁ APROVADO!!
Uma vez estabelecidas as escolhas certas, o engenheiro encomenda os materiais com as cores certas. E a fase de protótipo industrial pode começar. Com este primeiro protótipo industrial, as equipas de conceção confirmam de uma vez por todas as suas escolhas ou fazem novas alterações se o resultado não for satisfatório.

próximo passo